Portal de Estudos Bíblicos

JUDAS, A BÍBLIA SAGRADA E O "EVANGELHO" QUE PREGAM POR AÍ...

Por Marco Elias



Todas as vezes que a eleição individual aparece na bíblia sagrada, o pai, ou o Filho ou o Espirito Santo fazem questão de explicar os motivos, sempre haverá uma conjunção causal ou explicativa, com valor aproximado de “pois”, “uma vez que”, “para que”. O mesmo fato ocorre todas as vezes em que uma das pessoas da trindade dirige a palavra em diálogo com um grupo específico de pessoas. Israel foi eleito para ser o repositório das bênçãos de Deus em favor da humanidade, a igreja foi eleita para levar o evangelho aos povos.

“Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda” - João 15:16

Se Jesus não tivesse oferecido a oportunidade da salvação a Judas, o versículo acima estaria errado e Jesus se enquadraria na categoria de mentiroso. Note que Judas recebeu a mesma autoridade apostólica de Pedro e dos demais apóstolos ao ser escolhido e abençoado por Jesus:

“E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades. E enviou-os a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos. E disse-lhes: Nada leveis convosco para o caminho, nem bordões, nem alforje, nem pão, nem dinheiro; nem tenhais duas túnicas. E em qualquer casa em que entrardes, ficai ali, e de lá saireis. E se em qualquer cidade vos não receberem, saindo vós dali, sacudi o pó dos vossos pés, em testemunho contra eles” - Lucas 9:1-5

Tudo estava bem, mas João nos conta que Judas era ladrão e passou a roubar os recursos doados ao ministério de Jesus. Pedro também nos conta que Judas alcançou o ministério, todavia desviou-se dele.

“Porque foi contado conosco e alcançou sorte neste ministério” - Atos 1:17

Jesus pregou várias mensagens que poderiam ter mudado o rumo da vida daquele discípulo, mas ele recusou as mudanças. Vide Mateus 6:19-21 e Mateus 6:24. Pedro faz questão de narrar que Judas se desviou, não foi Deus que negou a sua graça e as oportunidades de arrependimento ao pecador. Para se desviar é preciso estar no rumo certo, do contrário a mudança de trajetória não é um desvio.

“Para que tome parte neste ministério e apostolado, de que Judas se desviou, para ir para o seu próprio lugar” - Atos 1:25

Deus sabia que Judas trairia a Cristo? Sim. A Bíblia deixa claro que sim. A presciência de Deus é um atributo que o faz conhecer o passado o presente e o futuro. Mas isto não significa que Deus tenha criado decretos ocultos para determinar tudo o que acontece. Isto é uma heresia que destrói o princípio da Sola Scriptura e da lógica matemática na qual a Bíblia Sagrada está amarrada. A presciência de Deus é constatativa e não determinativa. Deus enxergou o futuro e viu Judas traindo a Jesus. Mas a graça de Deus que quer que todos se salvem passou e parou diante de Judas e ele tomou a decisão errada, a qual o todo-poderoso já sabia que ele tomaria. O livre-arbítrio dado por Deus ao homem jamais interferiu em sua soberania.

Partindo destas premissas bíblicas e fiéis ao princípio da Sola Scriptura e deixando que Deus fale por si mesmo sobre o seu próprio caráter é louvável crer e praticar a Bíblia Sagrada, enquanto se queima junto com o lixo doméstico, o conteúdo teológico que deturpa o caráter de Deus, tornando-o o autor do pecado. Deus não vai fazer teatro, julgando os homens por pecados que ELE mesmo teria decretado que estes homens cometessem. Esta teologia não é de Deus. Tudo que vem de Deus edifica e jamais contradiz a Bíblia Sagrada e nunca macula o caráter santo do Todo-Poderoso. Durante a reforma protestante muito joio foi semeado junto com a palavra verdadeira.

A GRANDE PERGUNTA

Judas não foi salvo porque rejeitou a salvação oferecida por Cristo ou Judas não foi salvo porque Jesus não queria salva-lo?

“E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” - 1 João 2:2

A palavra propiciação carrega a ideia básica de apaziguamento ou satisfação, especificamente em relação a Deus. A propiciação é um ato de duas partes que envolve apaziguar a ira de uma pessoa ofendida e se reconciliar com ele/ela. Judas foi chamado para ser discípulo de Jesus para mostrar que Deus não faz acepção de pessoas e aceita em sua presença os pecadores da pior qualidade possível, (inclusive os traidores obstinados e amantes de teorias que destroem o caráter de Deus) e coloca diante deles a oportunidade de mudança de vida.

Faço a mesma pergunta no tocante à cidade de Jerusalém: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que a ti são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste!” -  Lucas:13:34

Certamente Judas era um dos pintinhos que não queria aconchegar-se debaixo das asas de amor e da graça do Todo-Poderoso e seu amor pelo dinheiro foi mais importante do que a obra de Deus em sua vida. A situação não teve mais remédio quando ele, finalmente, traiu o sangue inocente, o sangue que resgata o pecador da condenação. Era tarde demais.


MARCADORES

Abraão águas Águia Além da Letra alforria Amazônia Antigo testamento apocalipse Arqueologia bíblica Asafe Auschwitz Auxílio ao Obreiro Bartimeu batatas batismo com Espírito Santo BBC Ben Gurion Bençãos bíblia x Ciência Biblicamente bois Brasil brecha CALVINISMO Calvino cananeus carta cativeiro cessacionismo colheita comportamento Conhecimento conversão convite corrupção Crente Nominal cristianismo Culto Daniel Santos Davi Deus Conosco devocional dilúvio dizimo Dons Espirituais Doutrina ebd Ebede-Meleque Éden Elias escravatura Escriba evangelho evangelhos evangelismo exegese expressões idiomáticas facebook família fariseus filmes fim fonte fortalecimento graça grupo de estudos Habacuc heresias história igreja Igreja Fiel interpretação Isaías Israel Jerusalém Jogos Josenilson Félix Jourdon Anderson Judas Iscariotes Julgamento lava-jato Lei leitura liberalismo teológico libertação livre-arbítrio Louvor Luciano Subirá Lutero Marcelo Lyrio Marco Elias Melquisedeque Ministério missionários missões Moisés muro Natal nazismo Noé novo testamento obra de Deus Obreiro Aprovado Oração ovelha Palavra palavra revelada pão pastor paz Pecado peixe Pentecostalismo perseguições pobre presciência Pródigo Profecia Promessas Quinta medida razão humana Reforma Protestante religião remédio repreensão respostas revelação rico sabedoria sacrifício de Jesus salmos Salvação sinais do fim Sola Scriptura soteriologia Teologia Tomé Vale verdade vida vida cristã vídeos vinha vinho watsapp Windows Zaqueu