ASAFE NA MEDIDA DO HOMEM

Por Obreiro Daniel Santos



"Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração; e lavei as minhas mãos na inocência." Salmos 73:13

Realmente, se olharmos para este mundo que nos cerca segundo a perspectiva de Asafe, teríamos que rever as nossasvidas diante de Deus.
É óbvio que temos que considerar o contexto histórico em que este músico está inserido (lei). Ao examinar a prosperidade do ímpio brotava em seu coração a sede de entender o que na verdade o seu Deus valorizava.

"Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração"
Rico ou pobre, feio ou bonito; tudo isso não teria sentido se não houvesse o vetor: "comparação".
Nietzsche trabalhou com a ideia um tanto estóica neste sentido, quando trouxe à tona o "Amor Fati"; afirmava o filósofo que "O homem ama o ideal, ignorando o real" (Gaia Ciência). A visão rasteira tem como objetivo denegrir a cosmovisão do indivíduo levando-o as elucubrações insanas; a medida de Asafe consistia em medir o crescimento do homem externo, um acúmulo que oscila, absolutamente imperdurável.
Asafe recorria a auto purificação, e se deparava com o insucesso constantemente; somente O Senhor tem poder para purificar o homem dessas impurezas.

"E lavei as minhas mãos na inocência."
Este costume era comum em sua época, desde a instituição do tabernáculo já se via este princípio, (Ex 30:18-21). Profeticamente esta prática potencializava para a água(Palavra) que purificaria os atos(mãos) do homem; "observe que Asafe tentava purificar seu coração sem obter resultados, e neste tópico o foco é outro, ele reconhece que apenas nos seus atos ele teria poder.
O Inocente de Deus, A Palavra da Verdade tem poder para  libertar tanto o coração, quanto quebrar as algemas do pecado. Tudo que porventura vier as nossas mãos, que seja santificado.

Momento de reflexão...

Há um evangelho triunfalista que se levantou nesta última hora, que tem por objetivo ensinar que ao aceitarmos o chamado de Deus, enriquecemos; pensando bem, na verdade há muitos que estão agregados as denominações, e anelam por este fim, a ganância é um pecado mortal.
O que acontece é que o sujeito quando é chamado por Deus, o próprio Espírito Santo dá sabedoria ao indivíduo, e consequentemente ele passa a ser um bom administrador.
O tesouro da igreja está guardado, não cabe aos servos se venderem por quinquilharias.


Referências​: (Nietzsche - A Gaia Ciência 1882-1887)
Tecnologia do Blogger.