NAAMÃ NA MEDIDA DE DEUS

Por Obreiro Daniel Santos



"Não são porventura Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não me poderia eu lavar neles, e ficar purificado? E voltou-se, e se foi com indignação." 2 Reis 5:12

Se o evangelho que ouço não confrontar minha natureza pecaminosa, obviamente este é outro evangelho!

Hoje os pregadores parecem garçons de casas beneficentes, não se prega mais a miséria em que o pecador se encontra, e a remissão que há no sangue da cruz.

A moda hoje é gritar: _ Jesus tem uma bênção para o pecador! Na verdade Jesus é a bênção que transforma o pecador!

Templo não é lugar de receber bênçãos, mas de sermos uma bênção!
Culto não é lugar de extrair, mas de exalar o que extraiu de uma vida santificada.

Ana, não queria um filho, e sim, o poder de gerar, e ofertar ao Senhor o que lhe fora gerado.

A indignação deste general, não foi somente por se humilhar a ponto de mergulhar sete vezes no rio Jordão, mas de saber que sua cura dependeria de um ato que não estava dentro de sua lógica.

Deus não constrói sua obra em alicerces alheios, pois o fundamento não é outro senão sEu Filho.

Quando Naamã ouve a voz do Espírito(profeta), rapidamente surge a sua contra proposta (Abana e Farpar). "A medida do homem(4°), é sempre aparente"

O Jordão desde a sua nascente traz consigo um peso profético; ele é geograficamente perfeito.

É gritante como a pessoa do Senhor Jesus é presente neste rio; são inúmeras as profecias que podemos extrair nos textos bíblicos relacionados a este rio.

Não poderia não ser no Jordão;

Nascente- Hermom Monte Sagrado
ETERNIDADE

Alargamento- Mar da Galiléia
ÊNFASE DO MINISTÉRIO DE CRISTO

Desenbocamento- Mar Morto
MORTE

Jesus vem da eternidade, exerce seu ministério na Palestina e cumpre seu projeto se entregando a morte de cruz.

Naamã, foi o cabeça dos naamatitas foi filho de Belá e irmão de Arde, pertencente a tribo de Benjamim (Números 26:40), e (lCrônicas 7:7).

Observe que não estamos lidando com um estranho, "talvez"  seus pais pegaram uma carona com as dez tribos que subiram com Jeroboão para o norte...

Era necessário o Espírito Santo revelar os sete mergulhos no Jordão!
O número (7) é o número de Deus, é a medida imensurável, seis mergulhos obviamente não o poderiam lhe curar; se estivermos no Jordão, estamos na Obra Redentora.


"Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória;" Colossenses 1:27

Referências: Enciclopédia bíblica- (Orlando Boyer)
Tecnologia do Blogger.