BRASA DO ALTAR

POR OBREIRO DANIEL SANTOS


"E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniquidade foi tirada, e expiado o teu pecado." Isaías 6:7

O fiel é todo aquele que discerne os planos de Deus para sua vida, e submete as fases designadas pelo Senhor.

Isaías se apresenta no tecido bíblico como um profeta exemplar; não olhou para a decadência espiritual de sua época, aceitando da parte do seu Deus a responsabilidade de anunciar a primeira vinda e o glorioso ministério de Cristo. Visto que a cena volta a repetir-se; a igreja do "Tempo do Breve" anuncia a vinda de Cristo e o Reino dos céus também a uma geração corrompida.

O texto inicia citando a morte do rei Uzias, que fora acometido de uma enfermidade (lepra). Ao lermos o registro de "Esdras, o escriba," notamos o principal motivo de seu pecado: "Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração até se corromper; e transgrediu contra o SENHOR seu Deus, porque entrou no templo do SENHOR para queimar incenso no altar do incenso" (2 Crônicas 26:16).
O altar de incenso ficava no lugar Santo; um local permitido somente aos sacerdotes. Concluindo: a sua morte propiciou a visão de Isaías.
A medida de Deus não se alcança pela boa intenção do homem, mas pela vontade do Senhor, em querer se revelar.
Esta mentalidade é contemporânea?
O homem nutrido de uma dormência espiritual se coloca como merecedor de honras inconcebíveis.

É válido salientar que a postura de ambos são contrastadas;
Uzias por ter um reinado próspero, se viu como um ser digno; Isaías com o coração apertado devido as suas impurezas, Deus o leva à sUa Medida (campo espiritual).

"Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam." (Isaías 6:2)
Os Serafins são seres angelicais cujo os seus ministérios estão voltados para o Louvor ao Deus dos céus.
Nesta visão Isaías aprende algo que seria fundamental em seu ministério; a postura dos ministros celestiais são peculiares, porém pedagógicas:

>Seis asas
Limite dado às criaturas

>Duas cobriam o rosto
Temor ao Criador, pois somos identificados como criaturas.

>Duas cobriam os pés
Temor e santidade na caminhada

"E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória." (Isaías 6:3)

A Obra é três vezes Santa!

>Criadora - PAI
Toda terra

>Redentora - FILHO
Senhor dos Exércitos - venceu a guerra na cruz

>Santificadora - ESPÍRITO SANTO
Sua glória derramada

"Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos." (Isaías 6:5)
Esta é uma das mais belas confissões do acervo bíblico; este anseio é respondido no ministério do Senhor Jesus. Confira:

"Ai de mim! Pois estou perdido"
>Para o perdido - Eu sou o Caminho!

"Porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios"
>Para aos que proferem e vivem na mentira - Eu sou a Verdade!

"Os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos"
Vê o Rei, é a própria Vida!

"E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniquidade foi tirada, e expiado o teu pecado." (Isaías 6:7)
Não é difícil discernirmos quem é de fato esta Brasa Viva que tem poder para limpar o homem, não é mesmo?

O Senhor Jesus como uma brasa viva deixou o altar de Glória auxiliado por anjos (Lucas 1:30-34-38) e tocou na impureza do homem.

"Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim." (Isaías 6:8)
"A instrumentalidade é algo magnífico!
Deus ao revelar sua glória, tem a nobreza de nos propor a sua obra para o sustento de nossas almas"

"E quem há de ir por nós"?
Muitas vezes passamos por esta indagação, e não percebemos o quanto ela é séria.
Pessoas, denominações, que se auto-intitulam como "serviçais do reino."
Quem propõe este convite: "Ir por nós." Está dizendo: _Quem ir, terá que fazer o que nós faríamos, ou seja, o servo faz o que o seu Senhor faria.

Que hoje você possa refletir acerca desse chamado; e que sua instrumentalidade possa estar diante do seu Senhor todos os dias.

Tecnologia do Blogger.