ENSINE, QUESTIONE E CORRIJA!

POR DANIEL SANTOS



"Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;" 2 Timóteo 3:16

Pensas que a obra de Cristo sobre a terra possa ser realizada em paz? A Palavra do evangelho cheia de majestade e poder, não pode avançar sem perigo nem guerra. O Senhor não veio trazer paz, mas espada.

Enquanto o inimigo não cessar de levantar a voz, não retirarei minhas mãos do combate. Não combateu Cristo com o próprio sangue? E os mártires depois dele não seguiram todos o seu exemplo?

Lutero, sucintamente ressalta em sua frase as objeções que acompanharam a palavra de Deus até os seus dias; e com teor profilático, nos adverte quanto ao zelo que precisamos ter hoje como igreja de Cristo.

Paulo, (o primeiro teólogo neotestamentário) promulgou seus ensinamentos de forma clara; sua aula à Timóteo é para nós um divisor de águas, ou seja, os três pilares exegéticos deste verso são cruciais para uma vida espiritual extremamente saudável. São eles:

> Ensinar

É preciso salientar que, não se pode ensinar a bíblia aos pescadores (aqueles que ainda não tiveram um encontro legítimo com Deus)!

Ao pecador, é pregado o Evangelho; e sendo ele salvo por este poder, então inicia-se o ensino.

Os sistemas religiosos (sem exceção) tem convertido pecadores em ímpios.

Outro ponto terrível é a magia travestida de espiritualidade que se  prega: Deus usa homens simples, e ponto final.

Sim, é verdade; a bíblia concorda!

O problema é a tentativa insana de comparar a formação de um apóstolo do primeiro século com um ministro de hoje. Qualquer leigo que se dispuser a pesquisar a influência (intelectual) do helenismo na Palestina, terá uma visão totalmente oposta da que é empregada pelos manipuladores atuais.

O ensino bíblico tem que ter vitalidade, pregações divorciada de seu contexto gera revelações flutuantes.

Ser um estudioso da palavra não te faz um salvo, mas todo salvo é por natureza um estudioso!

> Redargüir

Todo líder que tem como objetivo atrair almas para si, é radicalmente inimigo das objeções; geralmente são desprovidos de inteligência e sempre engolem o que os outros mastigam. A defesa deste líder é colocar o fiel contra Deus, ou seja, desobedecendo o guru, é o mesmo que desobedecer à Deus (vide>IReis 13:18).

A vaidade, a glutonaria, o escarnio, a prepotência e a arrogância tem destruído os "altares"; homens que outrora eram vistos com admiração, hoje patinam no lamaçal do desprezo. Fica aqui uma dica; se porventura um ministro te desprezar devido os seus questionamentos relacionados a denominação, ignore-o. "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." 2 Timóteo 2:15

> Corrigir

A correção é sempre bem vinda quando parte do Espírito Santo. O Espírito da Verdade não erra; o crente legítimo tem a consciência de seus erros, e nada que a denominação lhe empregue, surtirá efeito, apenas intensificará ainda mais sua a alienação. O Espírito convence, corrigindo o salvo; o sistema impõe, iludindo o tolo.

As correções ministeriais, na sua maioria são subjetivas; sempre haverá o contínuo zelo pela instituição. " Não importa o que a bíblia diz, e sim o que a "santa igreja" pensa à respeito.

Ensine, questione e corrija; estes atos são mandamentos do Eterno, e todo crente legítimo, é sincero o bastante para viver a verdade. Não é porque o sistema funciona, que é de Deus, nem todas experiências sobrenaturais são do Espírito Santo; saiba que o Diabo é pragmático e usará todos os seus recursos para te encantar.


Que Deus possa nos abençoar, lapidando-nos conforme o teu Santo e puro querer.

Referências bibliográficas:
Título do original • Martin Luther/ pág 56
edição publicada pela
Georges Bridel & C. Éditeurs
(Lausanne. França)
Tecnologia do Blogger.