O REI DOS SÉCULOS

POR DANIEL SANTOS



"Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém." 1 Timóteo 1:17

Eusébio, certa feita disse que entre os hebreus, o nome de Cristo não era ornamento apenas dos que estavam envolvidos com o sacerdócio por serem ungidos simbolicamente com óleo preparado, mas também dos reis que eram ungidos pelos profetas por inspiração divina e faziam deles imagens de Cristo, pois efetivamente estes reis já levavam em si mesmos a imagem do poder real e soberano do único e verdadeiro Cristo, Verbo divino, que reina sobre todas as coisas.

Apesar de Eusébio ter vivido no terceiro século, primou pelo antigo método de exposição bíblica usado pelos apóstolos. O que de fato legitimou o Evangelho divulgado pela igreja primitiva fora justamente o reconhecimento do Cristo tecido na septuaginta (LXX). É válido registrar que os preletores do primeiro século não criaram nada de novo, apenas discerniram o recado do seu Mestre: "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir." (Mateus 5:17)

Ao redigir esta doxologia, Paulo externa uma das mais belas profecias contidas no oráculo de Deus. Observe;

“Ora, ao Rei dos séculos”

Israel teve tempo suficiente para absorver e guardar a promessa de Deus acerca do Messias que ele mesmo enviaria. Da mesma forma que Eusébio precisamente salientou: “O que reina sobre todas as coisas,” Paulo enaltece o Rei, que reinou em todo o período veterotestamentário.

“Imortal”

Esperar por um messias (ungido) nunca foi um comportamento exclusivo do povo judeu; havia também em algumas religiões a esperança por um remidor, de um pacificador, ou até mesmo de um vingador. Não obstante, o povo de Israel  esperava um Salvador que seria semelhante ao Messias do milênio, ou seja, Àquele que lhes daria a vitória através da guerra.

A igreja é privilegiada por receber o Messias de Deus que morrera, porém é Imortal (ressuscitou ao terceiro dia). A ressurreição de Jesus Cristo nos deu a oportunidade de sermos imortais com eLe.

“Invisível”

A igreja por ser imortal é nutrida por algo intangível; assim é a Obra de Deus!
Os cristãos primitivos quando saíram para evangelizar, levavam apenas consigo a fé redentiva, e o Espírito Santo (O Invisível) operava com poder.

“Ao único Deus sábio”

O tempo passou, e o povo do Senhor tem chegado até os dias de hoje com um só pensamento; somos um em Cristo.
O âmago dos desvios doutrinários é a tolice. E a força do povo tem sido a sabedoria de Deus no servo.
Acredito que a teogonia de Hesíodo perdera a sua posição com relação a gigantesca proliferação de deuses. Temos deuses para todos os tipos, gostos e idades. Porém o Senhor da igreja é Único, como ela é única. "E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum." (Atos 2:44) (Não se trata de um grupo debaixo do mesmo teto, pois isso se chama ecumenismo; mas de um povo distinto).

“Seja honra e glória para todo o sempre. Amém"
Honrando e glorificando à Deus aqui, é um preparo para honrar e glorificar à eLe no porvir.

Valorize sua Palavra, honre o sEu Santo Nome, que continuamente irás bem.

Referência literária:
História Eclesiástica
Eusébio de Cesaréia XXIII / Pág 16
Tradução de WOLFGANG FISCHER
São Paulo 2002
www.semeadoresdapalavra.net
Tecnologia do Blogger.